vídeos

Loading...

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

PEDIR A DEUS



SE ALGUÉM ORAR PEDINDO PACIÊNCIA,
ACHA QUE DEUS DARÁ PACIÊNCIA OU DEUS DARÁ
A OPORTUNIDADE DE SER PACIENTE?


SE PEDIMOS CORAGEM, DEUS NOS DÁ CORAGEM
OU OPORTUNIDADE DE SERMOS CORAJOSOS?


SE ALGUÉM PEDE QUE A FAMÍLIA SEJA MAIS UNIDA,
ACHA QUE DEUS UNE A FAMÍLIA COM AMOR E ALEGRIA
OU DÁ A ELES A OPORTUNIDADE DE SE AMAREM?


ESSE É UM TRECHO DE DO FILME "A VOLTA DO TODO PODEROSO" DE 2007. 

PENSE NISSO....

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Alguns quando vão a praia. hehehe


terça-feira, 5 de outubro de 2010

Satisfação aos visitantes do meu blog

Pessoal, a Paz!

Faz tempo que não escrevo no blog. Que não respondo aos emails. Que virtualmente “sumi”.
Na verdade, nos últimos 4 meses, passamos por algumas situações, que nos impediram de aparecer por aqui.
Agradeço a Deus e aos amigos que estiveram em oração por nós. Sabemos que o melhor está por vir, e o melhor é o cumprimento da vontade de Deus, seja ela qual for. Desculpem-me todos que me escreveram e que não tiveram resposta.

Nesse meio tempo, ocorreram muitas coisas de Deus que depois compartilharei com todos.

No mais, vamos que vamos, na Paz que excede todo o entendimento humano, a Paz que só Jesus Cristo pode nos dar!!! 

sábado, 25 de setembro de 2010

Faça aqui um Teste de personalidade

Faça o teste e descubra a percepção que as pessoas tem de você.

Esse abaixo foi o que eu fiz, façam o de vocês e comentem no meu blog o que acharam. 

Os outros te vêem como alguém alegre, animado, charmoso, divertido, prático e interessante, alguém que está constantemente no centro de atenções, mas suficientemente bem equilibrado para não deixar isso subir a cabeça. Eles também te vêem como amável, compreensível, alguém que sempre os anima e os ajuda.

Resultado: 43 pontos

CLIQUE AQUI: Teste de Personalidade

Oferecimento: InterNey.Net

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Cansado desse evangelho....

Cansei! Entendo que o mundo evangélico não admite que um pastor confesse o seu cansaço. Conheço as várias passagens da Bíblia que prometem restaurar os trôpegos. Compreendo que o profeta Isaías ensina que Deus restaura as forças do que não tem nenhum vigor. Também estou informado de que Jesus dá alívio para os cansados. Por isso, já me preparo para as censuras dos que se escandalizarem com a minha confissão e me considerarem um derrotista. Contudo, não consigo dissimular: eu me acho exausto.

Não, não me afadiguei com Deus ou com minha vocação. Continuo entusiasmado pelo que faço; amo o meu Deus, bem como minha família e amigos. Permaneço esperançoso. Minha fadiga nasce de outras fontes.

Canso com o discurso repetitivo e absurdo dos que mercadejam a Palavra de Deus. Já não agüento mais que se usem versículos tirados do Antigo Testamento e que se aplicavam a Israel para vender ilusões aos que lotam as igrejas em busca de alívio. Essa possibilidade mágica de reverter uma realidade cruel me deixa arrasado porque sei que é uma propaganda enganosa. Cansei com os programas de rádio em que os pastores não anunciam mais os conteúdos do evangelho; gastam o tempo alardeando as virtudes de suas próprias instituições. Causa tédio tomar conhecimento das infinitas campanhas e correntes de oração; todas visando exclusivamente encher os seus templos. Considero os amuletos evangélicos horríveis. Cansei de ter de explicar que há uma diferença brutal entre a fé bíblica e as crendices supersticiosas.

Canso com a leitura simplista que algumas correntes evangélicas fazem da realidade. Sinto-me triste quando percebo que a injustiça social é vista como uma conspiração satânica, e não como fruto de uma construção social perversa. Não consideram os séculos de preconceitos nem que existe uma economia perversa privilegiando as elites há séculos. Não agüento mais cultos de amarrar demônios ou de desfazer as maldições que pairam sobre o Brasil e o mundo.

Canso com a repetição enfadonha das teologias sem criatividade nem riqueza poética. Sinto pena dos teólogos que se contentam em reproduzir o que outros escreveram há séculos. Presos às molduras de suas escolas teológicas, não conseguem admitir que haja outros ângulos de leitura das Escrituras. Convivem com uma teologia pronta. Não enxergam sua pobreza porque acreditam que basta aprofundarem um conhecimento “científico” da Bíblia e desvendarão os mistérios de Deus. A aridez fundamentalista exaure as minhas forças.

Canso com os estereótipos pentecostais. Como é doloroso observá-los: sem uma visitação nova do Espírito Santo, buscam criar ambientes espirituais com gritos e manifestações emocionais. Não há nada mais desolador que um culto pentecostal com uma coreografia preservada, mas sem vitalidade espiritual. Cansei, inclusive, de ouvir piadas contadas pelos próprios pentecostais sobre os dons espirituais.

Cansei de ouvir relatos sobre evangelistas estrangeiros que vêm ao Brasil para soprar sobre as multidões. Fico abatido com eles porque sei que provocam que as pessoas “caiam sob o poder de Deus” para tirar fotografias ou gravar os acontecimentos e depois levantar fortunas em seus países de origem.

Canso com as perguntas que me fazem sobre a conduta cristã e o legalismo. Recebo todos os dias várias mensagens eletrônicas de gente me perguntando se pode beber vinho, usar “piercing”, fazer tatuagem, se tratar com acupuntura etc., etc. A lista é enorme e parece inexaurível. Canso com essa mentalidade pequena, que não sai das questiúnculas, que não concebe um exercício religioso mais nobre; que não pensa em grandes temas. Canso com gente que precisa de cabrestos, que não sabe ser livre e não consegue caminhar com princípios. Acho intolerável conviver com aqueles que se acomodam com uma existência sob o domínio da lei e não do amor.

Canso com os livros evangélicos traduzidos para o português. Não tanto pelas traduções mal feitas, tampouco pelos exemplos tirados do golfe ou do basebol, que nada têm a ver com a nossa realidade. Canso com os pacotes prontos e com o pragmatismo. Já não agüento mais livros com dez leis ou vinte e um passos para qualquer coisa. Não consigo entender como uma igreja tão vibrante como a brasileira precisa copiar os exemplos lá do norte, onde a abundância é tanta que os profetas denunciam o pecado da complacência entre os crentes. Cansei de ter de opinar se concordo ou não com um novo modelo de crescimento de igreja copiado e que vem sendo adotado no Brasil.

Canso com a falta de beleza artística dos evangélicos. Há pouco compareci a um show de música evangélica só para sair arrasado. A musicalidade era medíocre, a poesia sofrível e, pior, percebia-se o interesse comercial por trás do evento. Quão diferente do dia em que me sentei na Sala São Paulo para ouvir a música que Johann Sebastian Bach (1685-1750) compôs sobre os últimos capítulos do Evangelho de São João. Sob a batuta do maestro, subimos o Gólgota. A sala se encheu de um encanto mágico já nos primeiros acordes; fechei os olhos e me senti em um templo. O maestro era um sacerdote e nós, a platéia, uma assembléia de adoradores. Não consegui conter minhas lágrimas nos movimentos dos violinos, dos oboés e das trompas. Aquela beleza não era deste mundo. Envoltos em mistério, transcendíamos a mecânica da vida e nos transportávamos para onde Deus habita. Minhas lágrimas naquele momento também vinham com pesar pelo distanciamento estético da atual cultura evangélica, contente com tão pouca beleza.

Canso de explicar que nem todos os pastores são gananciosos e que as igrejas não existem para enriquecer sua liderança. Cansei de ter de dar satisfações todas as vezes que faço qualquer negócio em nome da igreja. Tenho de provar que nossa igreja não tem título protestado em cartório, que não é rica, e que vivemos com um orçamento apertado. Não há nada mais desgastante do que ser obrigado a explanar para parentes ou amigos não evangélicos que aquele último escândalo do jornal não representa a grande maioria dos pastores que vivem dignamente.

Canso com as vaidades religiosas. É fatigante observar os líderes que adoram cargos, posições e títulos. Desdenho os conchavos políticos que possibilitam eleições para os altos escalões denominacionais. Cansei com as vaidades acadêmicas e com os mestrados e doutorados que apenas enriquecem os currículos e geram uma soberba tola. Não suporto ouvir que mais um se auto-intitulou apóstolo.

Sei que estou cansado, entretanto, não permitirei que o meu cansaço me torne um cínico. Decidi lutar para não atrofiar o meu coração.

Por isso, opto por não participar de uma máquina religiosa que fabrica ícones. Não brigarei pelos primeiros lugares nas festas solenes patrocinadas por gente importante. Jamais oferecerei meu nome para compor a lista dos preletores de qualquer conferência. Abro mão de querer adornar meu nome com títulos de qualquer espécie. Não desejo ganhar aplausos de auditórios famosos.

Buscarei o convívio dos pequenos grupos, priorizarei fazer minhas refeições com os amigos mais queridos. Meu refúgio será ao lado de pessoas simples, pois quero aprender a valorizar os momentos despretensiosos da vida. Lerei mais poesia para entender a alma humana, mais romances para continuar sonhando e muita boa música para tornar a vida mais bonita. Desejo meditar outras vezes diante do pôr-do-sol para, em silêncio, agradecer a Deus por sua fidelidade. Quero voltar a orar no secreto do meu quarto e a ler as Escrituras como uma carta de amor de meu Pai.

Pode ser que outros estejam tão cansados quanto eu. Se é o seu caso, convido-o então a mudar a sua agenda; romper com as estruturas religiosas que sugam suas energias; voltar ao primeiro amor. Jesus afirmou que não adianta ganhar o mundo inteiro e perder a alma. Ainda há tempo de salvar a nossa.

Pr. Ricardo Gondim

terça-feira, 15 de junho de 2010

Frases engraçadas e divertidas retiradas do boletins das igrejas

Se você pensa que já achou algo engraçado no boletim de sua igreja é porque você ainda não leu estes comunicados. Caramba, são engraçados demais, cada mancada... rs.
Frases REAIS, retiradas de boletins de igrejas :

a) "No estudo desta noite nosso pastor trará a mensagem intitulada 'o que é o inferno' venha mais cedo e assista o ensaio do coral."

b) "Teremos sorvetada na igreja próximo sábado, as irmãs que forem doar leite cheguem mais cedo."

c) "Para aquelas irmãs que têm filhos e não sabem o berçário fica no segundo andar"

d) "Após a feijoada do próximo sábado teremos um período de meditação."

e) "Os adolescentes apresentarão no dia 1o uma peça de Shakespeare. Venha assitir esta tragédia."

f) "A irmã Fabiana agradece a todos os muitos irmãos que contribuíram para que finalmente ela engravidasse. Foi muito difícil, foi uma luta. Sem suas orações..."

g) "A irmã Ziza estará distribuindo Bíblias na favela na próxima terça. O diabo que se cuide."

h) "Precisamos orar intensamente pelo problema de saúde da irmã Cândida. Não tem Cristo que resolva."

i) "Os irmãos e irmãs que não sabem ler devem devolver os boletins da igreja no final do culto, assim que já tiverem usado."

j) "O novo zelador é o irmão Heberson. Não é casado, mas faz tudo que os outros mandam."

k) "O pastor viajou para o enterro da mãe do irmão Luciano. No culto cantaremos Ouve-se o Júbilo de Todos os Povos."

l) "O diácono irmão Zaqueu convida os homens da igreja para no próximo sábado podarem as árvores."

m) "A todos os irmãos que doaram alimentos à família da irmã Virgínia a igreja agradece, ela morreu em paz."

n) "Convidamos a todos para possessão do nosso novo pastor no dia 25. Traga convidados para assistirem

domingo, 11 de abril de 2010

Prefiro ficar perto do leproso...


Eu tenho medo de gente muito santa, muito pura, muito sem pecado.
Tenho medo de gente que repara no olho do outro, tentando o tempo todo tirar-lhe a trave, limpar um cisquinho.
Tenho medo de gente que se escandaliza com coisas imbecis, superficiais, exteriores, como se quisesse desviar a atenção de “alguma outra coisa”.
Tenho medo de gente que ora demais, que sonha demais, que ouve Deus falar 24 horas por dia.
Tenho medo dos que não sabem rir, dos que não ficam com a família, dos que não sabem se divertir nas horas de folga, dos que não fazem nada além de buscar ao Senhor e ir nos montes, nas vigílias e nas visitas. 
Confesso,
Tenho medo…

Prefiro ficar perto de gente mais comum, mais real, que erra, mas que fala: “errei”.
É melhor ficar na companhia de gente menos caricata, menos maquiada, menos plastificada, menos religiosa.
Jesus também preferiu assim e foi duramente criticado por isso.
Enquanto Ele poderia estar nas casas imponentes do bando que estava doido para lhe fazer uma média ou participar das ricas mesas dos donos da grana, foi para um lugar chamado Cesaréia de Filipo.
Ô lugarzinho de má fama!
Uma corja que não valia nada se reunia ali: prostitutas, ladrões, beberrões, excluídos, rejeitados, marginalizados.
Pelo menos lá ele não precisava ficar escutando a baboseira sensacionalista de gente que queria mostrar o quanto sabia de Deus e da Lei.
Ali Ele podia se revelar Mestre e Senhor porque o coração dos doentes e necessitados é despojado de altivez.
Os que se acham bons demais não tem ouvidos para ouvir porque só desejam falar.
São como João Batista os chamou: raça de víboras e Jesus os chamou de: hipócritas, fariseus.

No texto de Levítico 13, um homem cujo corpo estivesse completamente coberto de lepra, da cabeça aos pés, seria considerado puro pelo sacerdote:
2-Se a lepra se espalhar na pele toda, cobrindo o corpo todo, desde a cabeça até os pés, o quanto podem ver os olhos do sacerdote,
3-então este o examinará. Se a lepra tiver tiver coberto toda a sua carne, então será declarado limpo…”

Você não acha estranho?
No contexto, quanto mais discretas as manchas, mais imunda a pessoa seria considerada, e até afastada do arraial.
No entanto, pessoas com lepra evidente, em toda a pele, seriam consideradas puras.
?????????????????????????????????????????????????????????????
Acontece que uma pessoa com manchas discretas da doença, que estivessem escondidas debaixo da roupa, seria muito mais perigosa porque ninguém a evitaria, e o risco de contaminação seria muitas vezes maior.
Já a pessoa leprosa por inteiro não precisava ser afastada do povo porque ninguém teria coragem de ficar perto. Naturalmente todos a evitariam por saberem que o risco de contágio era enorme.
Por isso eu repito: tenho medo de gente que tem “pouca mancha”, que esconde por debaixo da roupa a lepra e se mistura com o povo, representando, fingindo, ocultando, traindo, conspirando.
Cansei de ver gente assim, cansei!
*que parece, mas não é;
*que profetiza, mas não vem de Deus;
*que ora em línguas que até Deus desconhece;
*que com uma mão me abraça, mas com a outra me apunhala;
*que elogia meu ministério, mas que gostaria é de estar no meu lugar;
*que chora, mas é de raiva;
*que come na minha mesa e depois cospe no prato;
AFF
Prefiro ver de longe a doença, ver bem claras as feridas, me arriscar perto dos bacilos e me expôr aos vírus.
Prefiro abraçar o enfermo de pecados do que estar sentada com o falsificado, o genérico, o dissimulado, o profeta comprado.
Prefiro buscar em Deus coragem suficiente para me sentar perto do leproso porque só assim, quem sabe, verei o milagre.

Uma pastora amiga

sexta-feira, 12 de março de 2010

Chega de religiosidade






Não me privo de viver na liberdade, não numa liberdade pretextual, não mesmo, mas naquela com que Cristo me libertou!


Creio num estilo de vida onde, além de ir aos cultos, orar, ler a Bíblia,dar bom testemunho e evangelizar, eu posso:

*dançar se tiver vontade
*dar risada pra valer
*fazer loucuras de amor (ou idiotices, como queira)
*rolar no chão com meus sobrinhos
*chorar se quiser chorar
*expressar sentimentos
*sentir preguiça
*admitir meu erros e pedir perdão
*ter a visão de um Jesus alegre
*gastar tempo me distraindo com coisas que gosto
*orar tomando banho
*me emocionar assistindo um filme

Antes, me envergonho da gosma nojenta que é o legalismo, cujos seguidores que se denominam cristãos sofrem de acefalia espiritual.
Eles enfiam Deus, os princípios bíblicos e a conduta cristã numa caixinha do tamanho das suas neuroses e chamam aquilo de novo  nascimento.


Será para mim super difícil imaginar que alguns me dirão:

"Vocês não sabem que devemos buscar primeiro o Reino de Deus e a sua justiça e as demais coisas nos serão acrescentadas?”
Ao que te responderei:
"É aí que mora a confusão do legalismo: achar que em Cristo a vida deve ser vivida dentro de um casulo de gesso onde a espiritualidade aflora (quase sempre arrogante), trazendo à existência o sujeito mais chato, mais pedante e mais místico produzido pela indústria da religião.

Para mim buscar primeiro o Reino e a Sua Justiça é muuuito mais do que ficar longe do mundo e dentro da Igreja.
É todo o dia e onde eu estiver ter uma busca incessante por:

*Não mentir *não defraudar *não maldizer *ajudar o necessitado *me guardar da pornografia *não cobiçar a mulher/marido dos outros *viver Jesus dentro da minha casa em primeiro plano *não julgar quem eu acho que é ou não um bom cristão *não dar lugar à rebeldia *zelar por um nome limpo *respeitar o espaço das pessoas *não liberar palavras de amargura e nem de maldição *ter uma cara só *


Me envergonhar? Do quê? Ah,me envergonharia disso:
Dessa evangélica famosa que fez ensaio sensual com o filho de 15 anos, com direito a beijo e tudo.
Dessa senhora sendo chamada de "irmã"
Da prostituição ungida.
Do Deputado crente que ora agradecendo dinheiro de propina
Dos políticos que sobem em nossos púlpitos para pedir voto
De ver a Igreja gay se misturando ao evangelho, mas sem arrependimento.
De saber que tem bispa botinão.
De saber de uma Igreja onde se cultua completamente sem roupa, incluindo o que se diz Pastor.
De Pastores traficando armas, numa guerra nada espiritual.
De cantores e pregadores que só cantam por dinheiro

miss. Bella Dourado

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Colheita feliz

Depois do Buddy Poke, como recurso muito usado no Orkut, o Colheita Feliz é um jogo de interação entre os usuários da rede social.O Myminilife, ao ser lançado, recebeu um grande volume de usuários, mas sua proposta parece menos aceita do que o Colheita Feliz.
Bom, mesmo que tudo seja muito pacífico,o objetivo do jogo Colheita Feliz é você plantar vários tipos de frutos e flores, cuidar de animais de uma fazenda, como galinha, porco e cavalos, e que além de você ter uma fazenda de verdade, você pode invadir a fazenda de seus amigos para roubar os frutos deles ou ajudá-los a manter a plantação livre de pestes e pragas.
Então, parece muito bem aquela grande história do George Luca; Qual o lado da força você seguirá? Se tornará um vilão, roubando e devastando as fazendas de seus amigos, ou um herói ajudando a lhe dar com problemas com pestes e pragas, irrigando o terreno do amigo.
O jogo, à medida que você se dedica, pode sofrer uma certa evolução,quem sabe você se tornará um grande fazendeiro ao comprar novas terras para plantar, adquirir mais animais e ter uma grande colheita feliz.Tem até que comprar um cachorro, tendo que alimentá-lo, senão ele não irá proteger sua fazenda dos amigos que tentam roubar você.

Você deve estar se perguntando, para quê eu quero saber desse jogo?
Pode ser que você não goste de jogos, não conheça esse jogo ou se ouviu falar não sabia como funcionava. Pois é...
A vida cristã é bem parecida com o “colheita feliz”,a pessoa tem um terreno, que é o coração,aceita a Jesus através da palavra que é a semente, aí começa viver a vida cristã sem saber como é servir a Cristo, como cuidar do seu terreno, como gerar frutos etc.
Mas ao longo do tempo ela passa a aprender os princípios da vida cristã e vai amando a Deus e vai se relacionando com os irmãos na fé.
É onde começam os problemas não esperados por essa pessoa que vem a Cristo achando que no evangelho ela vai ter uma colheita feliz,mas não é bem assim.
Quando ela menos espera, alguém entrou no seu terreno e colocou pestes no seu terreno,ela não tinha colhido ainda nenhum fruto e se depara com essa situação.Se ela nesse curto espaço de tempo conseguiu ter intimidade com Deus ela consegue forças e retira as pestes do seu terreno.
A vida segue, pois o tempo não pára, aí a pessoa começar a crescer na fé,conhecendo mais a palavra e passa a dar frutos,mas quando ela menos espera vem um “amigo” e rouba seus frutos.Ela se pergunta: mas como pôde isso acontecer?Meu amigo na fé?
Pois é, aí ela passa a saber que na vida cristã tem esses problemas, esses desvios de conduta por parte de uns “dissolutos” que se dizem servos de Deus.
São verdadeiros simpatizantes da fé e não cristãos de verdade.
Como posso me dizer um cristão e vivo fazendo mal ao meu irmão, e essas pessoas têm a audácia de falar nas reuniões coisas do tipo: Irmão eu te amo, conte comigo, estamos aí, o que está mais na moda “estamos juntos”, quanta hipocrisia, quanto fingimento.
Como a palavra de Deus diz: Como posso dizer que amo a Deus que não vejo se não amo meu irmão a quem eu vejo?
Calma!Também não é só tragédia nessa “colheita feliz”,temos pessoas honestas,cristãos autênticos que vão te ajudar quando você precisar,pessoas que vão irrigar seu terreno quando você estiver na seca, pessoas que irão te ajudar a remover as pestes e pragas da sua colheita,você não estará só, ao longo do tempo você verá quem são seus amigos.
Venho por meio deste artigo te alertar que há essas questões, mas que em tudo há solução para aqueles que realmente são servos do Deus Altíssimo.
Como vai tua colheita? Feliz ou Triste?

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Você é vaca de presépio?



Vai chegando o Natal e começo a lembrar da famosa vaca de presépio.Como tenho visto muitas pessoas assim ao meu redor,"parte" o meu coração ao ver e presenciar tais situações.Eu sei que todos sabem que o presépio nada mais é que um estábulo,uma estrebaria,temos referências bíblicas que remetem ao nascimento de Jesus num estábulo em Belém, na companhia de José e Maria.Conta a Bíblia que, depois de muito tempo à procura de um lugar para hospedar-se,o casal que se encontrava em viagem por motivo da contagem das crianças de toda a Galiléia,o casal e o menino Jesus tiveram que pernoitar numa cabana nas imediações de Belém. Então, Jesus nasceu numa manjedoura destinada a animais (vaca,burro e outros) ,ou seja,o presépio.E foi reconhecido, no momento do nascimento, por pastores da região, avisados por um anjo, e, dias mais tarde, por magos (ou reis) vindos do oriente, guiados por uma estrela, que ofereceram ouro, incenso e mirra ao recém-nascido.Segundo a história, estes acontecimentos ocorreram no tempo do rei Herodes, que teria mandado matar todas as crianças por medo de perder o seu trono para o futuro rei dos judeus.Um costume de Natal tornou-se costume em várias culturas, montar um presépio quando é chegada a época de Natal.
Antigamente nas igrejas, em cima da caixa de esmolas dos pobres havia um presépio, quando uma pessoa colocava uma moedinha, a vaquinha do presépio agradecia, abaixando a cabeça num gesto semelhante a um “sim”.
Hoje temos visto as grandes massas do povo evangélico semelhante a um presépio, pessoas de fácil manipulação.Não examinam as escrituras,não buscam crescer na graça e no conhecimento, mas perecem por falta de conhecimento como diz as escrituras sagradas.Não sei se é culpa dos líderes mal intencionados ou se a maioria do povo cristão não conhece,sendo assim facilmente influenciado por essa liderança.
Quando digo liderança, quero me referir aos pastores,ministros,pregadores etc.
Alguns condicionam as massas em proveito próprio, digo alguns para não assustar,mas gostaria de dizer que é a grande maioria.
Escrevo esse artigo porque vi e vejo isso na prática, vivenciei muitos fatos que me intrigam até hoje, e na época sempre me pronunciei contra, por isso sempre fui muito contestado.
Os pastores chegam para seus liderados e impõem uma visão, todos deveriam analisar e ver se realmente é de Deus, se é para o bem do coletivo, da comunidade,porque se for algo que beneficie só alguns já não é tão benéfica essa visão,sai do foco, partindo do princípio que a igreja é uma família.
A vaquinha de presépio é assim, só balança a cabeça concordando, nunca contesta, não confronta e não critica.Conheço tantas assim...
Não estou dizendo que é para as ovelhas,os liderados se revoltarem contra seus líderes,não!Nunca! Mas discutir o fato sempre!Não é porque eles são os líderes que não podemos nos pronunciar,analisar e conversar com eles, não é porque eles são os líderes que eles são os donos da verdade e o que vale é o que eles determinam.
Chega da manipulação as massas! Vamos em busca do conhecimento para não sermos enganados ou persuadidos.
Não me levem a mal,mas vou continuar a analisar tais fatos dentro das igrejas, como faço sempre.Seguir a maioria? Não para mim, porque não sou massa de manobra, nem vaca de presépio.
Enfim,dos personagens do presépio a vaquinha é um dos que passam-se mais desapercebidos,portando quando uma pessoa tem uma participação quase nula,não opina em nada, não se pronuncia ou não é lembrado, não esqueça ela  até aparece, afinal você faz parte do presépio,mas não é notado.Pense nisso, você é uma vaquinha de presépio?